78-1535 NOGUEIRA ANV

Fazer Atualização

Número de Aluno78-1535
Classificação380
QuadroQ AV
EspecialidadeANV
NomeELIEZER DE OLIVEIRA NOGUEIRA
Nome de Guerra de AlunoNOGUEIRA
Outro Nome de Guerra
Apelidos
Esquadrilha na 1ª Série22
Esquadrilha na 4ª Série3
Data de Nascimento16/11/1961 (55 anos)
UF - Cidade de NascimentoRJ - Teresópolis
UF - Cidade de ResidênciaRN - Natal
Unidades em que Serviu1º ETA Belém Ago1980-Set1980
1º EMRA Belém Set1980-Dez1980
1º/8º GAV Manaus Jan1981-Dez1984
7º/8º GAV Manaus Jan1985-Dez1987
3º/8º GAV Afonsos Rio de janeiro Jan1988-Dez1993
1º/9º GAV Manaus Jan1994-Fev1994
SERAC-7(DAC) Manaus Fev1994-Dez2000
SAC-PS (DAC/ANAC) Porto Seguro Jan2001-Dez2006
2º/8º GAV Recife Jan2007-Out2008
Data da baixa da FAB- - -
Posto/Grad e SituaçãoSuboficial R1 - Reserva em 01/10/2008 - Reformado em (data?)
Telefone Residencial
Telefone Celular084 981043637 Claro
E-mailnogueira.azul173@gmail.com
Facebookhttp://www.facebook.com/eliezer.mara
Informações AdicionaisOutro e-mail: azul@nogueira.in
Causos, Prosas, Fatos e FichasPublicado em 27/05/2017
Em 1987 eu estava servindo em Manaus no 7º/8º GAV. Em dezembro recebi uma carta muito bacana (estou falando de carta de papel mesmo, escrita à mão) do meu amigo 78-1449 LÚCIO, que servia no Grupo de Aviação Embarcada, Santa Cruz, no Rio de Janeiro. Ele contava da alegria de estar sendo transferido para o 3º Esquadrão do 8º Grupo de Aviação (3º/8º GAV), no Campo dos Afonsos, que iria voar o helicóptero Super Puma e que com isso teríamos a possibilidade de nos encontrarmos com mais frequência pois estaríamos trabalhando no mesmo grande comando.
Mal sabia ele que eu havia sido transferido para outra unidade. A minha transferência também era para o 38GAV. Foi uma festa!!
Chegando no Rio, enquanto não arranjava um local para morar o Lúcio me convidou a ficar na sua casa. Algum tempo depois consegui um apartamento ali no Méier, pertinho do dele. Esse convívio diário criou um laço muito forte entre nossas famílias. Ficamos tão ligados que éramos sempre vistos juntos, tanto dentro da Base quanto no convívio social que a dupla ganhou o apelido de "Faísca e Fumaça".
Lúcio era um excelente profissional. Em pouquíssimo tempo já estava adaptado à nova aviação (antes ele voava P-16, motor convencional e função básica de Mecânico de Voo), agora era um tripulante com outras funções à bordo, além de mecânico, era Metralhador, Operador de Carga Externa, Resgateiro (guincho), e tantas outra atividades que são exigidas do Mecânico a bordo nas diversas missões desempenhas pelo helicóptero. O Lúcio estava realmente feliz com a carreira.
O trabalho era meio puxado naquela época. Normalmente a gente estava ou de Serviço de Mecânico de Dia ou de Alerta SAR ou de serão na manutenção, sem contar os infinitos voos de instrução.
Certa tarde, já em 1990, eu ia para casa no final do expediente e o Lúcio tinha que ficar até mais tarde pois estava de Alerta SAR. Me despedi dele, como sempre fazíamos se um de nós tinha que ficar.
Já era perto de meia-noite quando fui acordado. Era um oficial do esquadrão (juntamente com um médico) que me informou que o SAR havia sido acionado para buscar um ferido da equipe que ficava tomando conta do estande de tiro da Marambaia mas que o helicóptero caiu e não houve sobreviventes. E me pediu para ir (junto com eles) comunicar a morte do amigo à família.
Este acontecimento, com a morte do Lúcio e de outros companheiros, foi o episódio mais triste da minha vida.
Ele deixou esposa (que é a madrinha do meu filho mais velho) e duas filhas.
A mãe e a tia do Lúcio (que vocês podem ver na foto na página dele) têm até hoje um carinho enorme por mim, e eu por elas.
Ver página do Lúcio ==> http://www.nogueira.in/azul78/azulao/view?id=340
- - - - - - - - - -

Publicado em 22/08/2016
PARENTES OU NÃO, ELES ERAM MUITO ENGRAÇADOS!
Lembrei de uma ficha envolvendo o Gilson Alves Silva (MAN), Antonio Carlos Góes (MET) e Juarez Parente Guimarães (PPI), acho que na 1ª série mas pode ter sido na 2ª depois da mudança de esquadrilha, antes de sermos separados por especialidade.
Por coincidência na sequência dos milhões e dos nomes na hora da chamada na esquadrilha, o SILVA teve a feliz sacada de adicionar o "A" de Alves ao seu nome-de-guerra para ficar parecido com o nome do "A. CARLOS", e o PARENTE, que não era bobo, passou a pronunciar seu nome no plural.
O Aluno-de-Dia fazia a chamada pelo milhão e cada aluno respondia com seu nome. Na sequência 1267, 1273 e 1279 ouvia-se o seguinte cotejamento: "A. SILVA!... A. CARLOS!... PARENTES!" ao que toda a esquadrilha caia na gargalhada e isso deixava os Alunos-de-Dia intrigados! Alguns iam até eles para conferir os nomes nas tarjetas mas nunca dava em nada pois não conseguiam lembrar que o SILVA e o PARENTE haviam pronunciado seus nomes com ligeira modificação.

Ver página do A.Carlos ==> http://www.nogueira.in/azul78/azulao/view?id=230
Ver página do Silva ==> http://www.nogueira.in/azul78/azulao/view?id=210
Ver página do Parente ==> http://www.nogueira.in/azul78/azulao/view?id=279
- - - - - - - - - -

Publicado em 13/08/2016
VALHA-ME DEUS!
Certa noite na EEAer eu estava na frente da Esquadrilha distraidamente observando o céu estrelado de Guará, contando estrelas cadentes e satélites que passavam quando ouvi uma voz forte dizendo "Jovem, porque estás a admirar os meus domínios?"
Me voltei na direção da voz e vi o DEUS!
Esse episódio marcou minha vida!!! :)
Era o ”DEUS" ALCÉLIO falando comigo!
:D :D :D
Ver página do Alcélio ==> http ://www.nogueira.in/azul78/azulao/view?id=111
Atualizado por78-1535 Nogueira, 78-1218 Pereira
Atualizado em16/09/2017 16:24
Fazer Atualização